Criarumemail.com/

Latest Posts

Oi gente!
Como todos sabem, gosto muito de escrever. Pelo menos sabem aqueles que visitam meu blog desde de 2004, quando o weblogger ainda existia e lá se vão anos... Mas fui me distraindo em tantas áreas que a gente vai descobrindo pela vida, normal. Normal, não, previsível.

Como meu marido está viajando, tirei uns dias para ficar na casa da minha mãe, e achei tanta bujinganga! Nossa, tantas listas de desejos, desabafos em diários, cartas de ex, vish muita treta. Além de livros, cadernos de escola, campanhas que inventava, fotos de eu dançando Street Dance (era street dance ou break no alto), fotos das primeiras apresentações de ballet... Vish, muita treta messmo, fiz a limpa!

 Nesse clima, descobri uns textos perdidos nos arquivos mortos do computador. Olha, até que tinham coisas interessantes... Por que ninguém me dava atenção na época? Bom, resolvi honrar aquela menina hiperativa, cheia de sonhos e energia para abraçar o mundo (que no fundo não mudou muita coisa).

 Então pára (eu sei, é sem acento, mas deixa eu pôr?), vai lá trazer um chazinho para ler um pouquinho das minhas fortes viagens.


"Um pássaro. Bem assim que ele nasce, ele não sabe, mas ele vai voar. Bem assim que ele nasce, ele não sabe mas tem uma essência, um fio condutor, uma raiz, que já existe, ele não sabe mas é isso que vai levá-lo a voar. Um passarinho, pobre coitado, não sabe de nada, está num ninho desconhecido, está numa árvore que não é sua, está perto de pássaros que não se parecem com ele... ele não sabe, mas existe uma característica essencial que constitui sua natureza, que vai fazê-lo voar. Existe um idéia principal que vai fazer a coisa ser o que é, e não outra coisa. O elo perdido entre existir e voar. Nasceu pássaro, mas não seria pássaro se no seu âmago não havesse de voar. Um pássaro não sabe mas o que faz ele ser pássaro é a essência de pássaro que se pudesse se materializar seria o vôo. Calma passarinho, ninguém nasce sendo, nascendo sem ainda ter nascido."


"Era para eu ser a dança. Dança sem essência é você se tornando outra coisa que não é. A dança tem que te fazer o que és, não outra coisa. Achar o fio condutor que me faz dançar e acreditar tanto na dança, achar o motivo do mover, achar o que te faz sentir mais viva, achar o combustível. Onde estará a fome? Como combater a subnutrição? O que vai te inspirar quando acabarem as fotos? Onde está a fome? Como combater a desidratação sem água? Cadê a água? O que vai te inspirar quando a água acabar?"

"Não preciso que façam minhas vontades quando estou bem, pois aí eu mesma faço... preciso de atitude de base forte principalmente quando minhas bases ja se foram, meus pais, meu irmão meu melhores amigos, cada um com seus rumos suas famílias, eu também escolhi meu rumo, minha família de uma só. Sozinha aprendi a me superar sozinha eu mesma montei minha base. Vinha lutas, vinha paixões, vinham decepções, tudo passava, sempre me bastei. Mas agora você me ensinou a encarar tudo de um modo diferente, com alguém do lado. Você me mudou, eu não queria mudar, era muito mais seguro do outro jeito, mas quando vi já havia acontecido, me tornei dependente, dependente de alguém, alguém que nem sabia se podia confiar, pelas palavras sim, pelos sentimentos sim, mas as atitudes ainda não tinha como saber. O pior de se sentir sozinha é se sentir sozinha tendo alguém. Não tem como o tempo voltar, também nunca quis que voltasse mas hoje eu queria... queria voltar ao tempo que eu podia aceitar que cuidassem de mim... que perguntassem porque estou triste e mesmo que o motivo fosse nota baixa na escola, ali estaria recebendo um cuidado, que me dessem comida, que não me deixassem ficar na cama o dia inteiro. Você me fez mudar, você convenceu a me entregar e acreditar em nós, mas não me ensinou a sobreviver sem você, não me preparou para o dia em que você simplesmente não estaria ou sem paciência ou não me disse que ainda não sabia lhe dar comigo. Entendo cuidar de um animal de espécie rara dá muito trabalho mesmo, irrita, perde-se a paciência, dá quase vontade de desistir. Então me desculpe, por lhe fazer sofrer porque sou difícil de lhe dar, não é essa intenção."

"As vezes voce só quer um momento em PAZ, todos querem momentos de paz, e quando você é sozinha, não tem ninguem pensando em você ou se preocupando com você, aí esses momentos são mais frequentes, frequentes até demais."

"O que será de amanhã? Vai desperdiçar cada dia? Colher o dia. Colher os restos no chão e não reaproveitar nada."

"Pegando impulso. A vida esta num corre-corre danado e do nada vem um vácuo. Não se preocupe... a recuada é para pegar impulso para um salto maior."

"Amar é abrir mão, neh? É o que mais se faz dentro de um relacionamento, e é isso que a vida pede. Terá de optar muitas vezes por diversão ou trabalho, por mais que o seu trabalho pareça ser divertido. Terá de abrir mão muitas vezes de família, cyphers, bichinhos de estimação... por amor. Alguém me disse que todo mundo tem um amor, esse amor pode ser uma pessoa, uma profissão ou uma arte... seja o que for, quando amar você pagará um preço.
Não que vai ser isso sempre, toda vida você em segundo plano, mas quando for acontecer você deve estar com a mente fortalecida no amor. Fortaleça sua vida e sua profissão no AMOR. 
O que é seu virá, não queira o que é dos outros."

Ufa, cada palavra para mim faz muito sentido! Chega a ser engraçado. Não corrigi e nem ajeitei os textos para mantê-los na integra. E como são muitos textos perdidos por aqui, vou fazer a PARTE 2 e talvez PARTE 3, me lembrem PLEASE!
Se quiserem usá-los ou aproveitá-los tudo bem, mas me avisem antes e coloquem os créditos.;)

Grande beijo, vou aparecer mais vezes!

Oi gente,
passei bem rápido para deixar o link do MEU CANAL - SAVAZ!
Ainda não sei o que será deste canal, se nem no blog consigo postar com regularidade, mas deu na telha de fazer e vocês sabem como eu sou, não penso muito quando vou fazer as coisas - talvez seja porque se eu pensar demais acabo por não fazer - e também sabem que quando ponha algo na cabeça, não paro até dar um jeito de fazer...

O primeiro vídeo do canal é aqui em Ipanema, em um trilha pelo morro do Cantagalo, com uma vista linda de morrer. O dia foi muito cheio, estávamos cansados, mortos, bem típico, rs. Mas dançamos e fizemos um teaser pequeno que está no canal do ROUPA DE ENSAIO, se inscrevam lá também.

Vou deixar os links dos vídeos aqui, acompanhem tudo lá e qualquer coisa grita!





Por hoje é só pessoal, beijos!

Falaê galera,

C-A-S-E-I.

Quero dividir tudo com vocês, vou me esforçar pois esqueço as coisas, mas tem algo que preciso falar. Vai soar clichê. Sim, eu sei que vai... Mas o que eu posso fazer? É a pura verdade!! Então lá vai:

FOI O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA

Talvez seja esta a declaração mais feita relacionado ao dia do casamento, sei lá, mas foi incrível. Antes de tudo, eu não fui aquela noiva sonhadora, de chegar de helicóptero, ou de ter um bolo de três metros de altura, não. Fui super simples e realista pois sabia de uma coisa muito especial - lá vai a primeira dica para futuras noivas -, a festa casamento não era para mim. Sim, não era, e é isso que torna tudo tão mágico e mais que especial, ver a felicidade dos outros. Se você for uma noiva egoísta, vai rolar muito estresse, frustração e sempre aquele desejo de que poderia ter sido mais. Então, antes de decidir ter uma festa, pense: por que quero ter uma festa? Eu e meu marido (hahah MARIIDOOUUWWS TOMA TOMA), sabíamos o quanto um casamento inspira as pessoas, e queríamos ser exemplo para nossos amigos, além de levantar um grande culto à Deus levar essa atmosfera de liberdade sobrenatural para aqueles que não vivem isso. Nos dias de hoje, quase ninguém casa. Se junta e está tudo certo, mas não é bem o que Deus sonha pra gente. Ele quer tudo certinho!  Bom, deu certo. O testemunho das pessoas é reconfortante.

Ainda explicando porque foi o melhor dia da minha vida, eu estava literalmente voando! No dia anterior rolou uma tempestade na cidade que faltou luz nos três bairros vizinhos, com isso o céu estava, inenarrável. Cara, o céu estava branco de tanta estrela, tinha rastros, clarões, estrelas cadentes, eu só sabia chorar e falar em línguas, pois ali eu senti toda a confirmação de Deus. Outra dica é: quando há confirmação de Deus, você faz as paradas sem dó. Se for para pular, você pula, não vai dar errado. Com tudo isso eu estava super emocionada, nunca fiquei tão feliz com as sensações que sentia. Me arrumando, minha mãe quase chorando me ajudando, esperando ser chamada para entrar, meu pai, cara meu pai... Meu pai ali comigo, sem dúvidas foi o ponto alto. Papo sério. Não sabia como, mas sabia que haveria um dia em que daria a ele todo o orgulho que sempre quis e também ser motivo de tanta felicidade, acredito que foi nesse dia. Isso me extasiou.

Entrar na areia, ver as pessoas emocionadas, saber que por trás de cada emoção que eu via estava Deus. Fiz o cortejo orando, emocionada. Aí quando eu vi ele, meu futuro marido, não deu vontade de correr, não deu vontade de gritar, nem deu vontade de fazer dancinha... foi tão familiar... olhar pra ele me trouxe tanta paz, tanta segurança, que poderia ficar ali... pra sempre, a gente se olhando, com o mar de fundo, o vetinho, o sol nas montanhas, refletindo na água... Tudo perfeito, eu, me pai, ele o pastor... mas o povo queria a cena! Bora Kapu!! Vem pegar a noiva! (ele, ficou encantado com a minha beleza e não foi me pegar... o pastor chamou, meu pai acenou com a cabeça, a Bela, madrinha deu um grito, aí ele foi!) UFA!
A entrada das alianças foi fofa, o Victo Hugo, de 3 anos, não quis fazer o cortejo e saiu correndo com as alianças de 2 mil dólares pela areia da praia, todos os convidados começaram a se abaixar cavando pra procurar o par da jóia. Sorte que um padrinho tinha um detector de metais no bolso, achou rapidinho... e demos continuidade a cerimônia. Tá não foi bem assim, foi muito fofo e perfeito... Falamos os votos e casamos! Ao cumprimentar os padrinhos, ih um chororô danado... com direito a entrega de mistério e tudo... Vi meus irmãos emocionados, minha mãe me disse as palavras que sempre ecoam na minha cabeça, meus amigos, minha cunhada, familiares... minha sogra me abraçou de uma forma tão aconchegante... nossa, momento forte e incrível.

Saímos como marido e esposa. Fomos para suíte, conversamos, vimos o quanto estávamos lindos um pro outro e quando descemos para a festa minha família fez uma homenagem cantando um música marcante na história da nossa família, muito forte. Todas as homenagens foram cheias de talentos, dons e peculiaridades... nós dançamos, eu cantei (apaga a luz), madrinhas cantaram, ih um show a parte! A festa estava toda trabalhada no tema praia e algumas referências ao artesanato de Belém, cheia de especialidades decorativas... Eu não fiz nada, confiei e fui embora! Profissionais perfeitos nesse evento, oramos por isso também e foi uma resposta de oração bem palpável. Os detalhes dos bastidores vão valer a parte 2 ou 3 deste post. Muita coisa fizemos à mão, como os convites, o chá de panela, e muita coisa resolvemos online, como o Save The Date e o site de presentes virtuais (ainda está no ar aproveite para ver logo, só até abril!), vou me esforçar para organizar fotos e vídeos para fazer um post bem estruturado.
Não falei metade do que queria, mas precisava dar uma satisfação, né. Também não tenho fotos muito boas, mas fui catando no facebook dos convidados. Podem deixar dúvidas, perguntas,sobre vestido, cabelo, make, decoração, convite, orçamento e o que for, que respondo, ok? Bom gente, por hoje é isso, vou ficar chateando você um tempo com essa história, porque foi demais para mim... Finalizo com um trecho da música que a Família Souza cantou para nós. Beijos!!

"Deus não deixará tua luz se apagar, o seu dia escurecer sua flor murchar, Deus não deixará o teu barco perecer, tua fonte secar e o amor que há em ti morrer, Deus não deixará..."
Eu sei, eu sei.. "mas Savaz, já estamos quase na Páscoa e você falando de ano novo!". Pois é gente... sou assim...rs

Passei o ano novo no norte do Brasil em Belém do Pará, conhecendo a família do no-o-ivo!
Foi lindo, comi  açaí com peixe frito, pupunha, vatapá, varias frutas exóticas, unha (é a coxinha, só que com recheio de caranguejo). Altos sucos e sorvetes murici, cupuaçu, buriti, castanha-do-para... Comi maniçoba, folha da mandioca cozida por 7 dias, e tacacá, é o caldinho da mandioca tem um gosto picante, junto com folha de jambu que deixa a língua dormente, foram os mais exóticos.

Fui à praia de água doce! Você se sente leve, pura e a água não é gelada. O cenário é maravilhoso, sol refletindo na água, que fica toda prateada e os peixinhos pulando em cima da superfície, curiosos com os visitantes novos... até o momento em que o Kapu sobe no topo de uma árvore do tamanho do Cabum ( in memorian Terra Encantada) e mergulha de cabeça no meio do rio da Amazônia. Nessa hora rolou um tipo "Ai meu Deus salva meu noivo que não te peço mais nada!", mas como ele é incrível, foi eu que paguei de bocó preocupadinha atoa... affs.
Kapuzinho nadando na praia de água doce em Cotijuba
  No fim do dia o barquinho que nos transportava quase virou, adrenalina pura. Chegamos vivos e felizes na margem onde tinha os produtores de açaí com seus paneiros lotados (paneiros são tipo cestos de palha que lá são basicamente descartáveis, fiz o Kapu trazer uns 7 no meio do avião).
Chegada em Cruzeiro, vivos graças à Deus (ignorem my face)
Não consegui cumprir toda a minha lista imaginária tipo treinar com as bgirls e ver um jacaré, mas tive o privilégio de ver a ararinhas em uma época especial (de acasalamento, elas ficavam gritando que nem loucas), e deixavam a rua mais viva e mais enérgica.

Voltando ao Rio a primeira paulada foi os R$3,80 da passagem (lembrei de um post antigo onde a passagem de ônibus era R$2,40). Eu fiquei tipo WHAT THE F*! Enfim, lembrei do meu tempo militante, de protestos, era presença certas, nos plenários, lutava, cara eu lutava. Pela dança, pelo hip-hop, pelas 5 causas... (e se tivesse alguém lutando sobre qualquer outra coisa eu só gritava junto "é isso aí!") Mas estava com um desinteria assim que cheguei de viajem aí não ia rolar, paguei os três mil e oitocentos da passagem.

Cheguei do aeroporto indo direto pra secretaria de cultura, assinar uns documentos de liberação de verba, agendando reuniões de articulação do projeto, confirmando presença em vários eventos, mas EPA, PERA AÍ! I   W I L L   M A R R I E D !! Pé no freio, VVR, vamos voltar a reladidade, salve Marechal. Convites, lembrancinhas, o que as madrinhas vão usar.. é bem isso, bem esse nível...
Este é o nosso Save The Date praiano (menos de um mês, aijesusmariajoseeamanjedoura)
Resumindo, sou noiva! (de novo ¬¬) E tenho um noivo! (Para quem não sabe Ronielson é o Kapu)
Bem, será uma cerimônia simples a beira mar, pé na areia, ao cair da tarde em Angra dos Reis. Entrarei descalça e eu mesma vou fazer o meu cabelo! Quem vai fazer minhas fotos é o Paulinho Rodrigues (@paulinhorodrigofotos), com quem já trabalho (ele é quem faz essas minhas fotos bapho que vocês amam) e na make é a Jessica Oliveira (@makeupjessicaoliveira) que também já conhece meu rosto. A filmagem ficará por conta do nosso amigo Tito (@tito_lacerda)! Não tenho muito o que dizer sobre os preparativos, só que tudo está surgindo e acontecendo do nada!

Estou ansiosa. Mas sei que tenho que curtir cada momento e observar cada milagre chegar naturalmente, pois (parece clichê, e até é, mas...) é um momento único, só vai acontecer uma vez e de fato é especial (o que não justifica o preço dos bem-casados). Sinto meus pais muitos felizes, eles não falaram, mas dá para ver, e me sinto muito honrada e grata à Deus por essa atmosfera entre nós! Não tenho muito o que dissertar sobre isso, somente louvar e agradecer a Deus por todo esse amor que estou sentindo pelo Kapu, por meus pais e por essa fase de crescimento! É isso.

Fiquem na PAZ, Beijos!