Criarumemail.com/

Latest Posts


Oi gente,
passei bem rápido para deixar o link do MEU CANAL - SAVAZ!
Ainda não sei o que será deste canal, se nem no blog consigo postar com regularidade, mas deu na telha de fazer e vocês sabem como eu sou, não penso muito quando vou fazer as coisas - talvez seja porque se eu pensar demais acabo por não fazer - e também sabem que quando ponha algo na cabeça, não paro até dar um jeito de fazer...

O primeiro vídeo do canal é aqui em Ipanema, em um trilha pelo morro do Cantagalo, com uma vista linda de morrer. O dia foi muito cheio, estávamos cansados, mortos, bem típico, rs. Mas dançamos e fizemos um teaser pequeno que está no canal do ROUPA DE ENSAIO, se inscrevam lá também.

Vou deixar os links dos vídeos aqui, acompanhem tudo lá e qualquer coisa grita!





Por hoje é só pessoal, beijos!

Falaê galera,

C-A-S-E-I.

Quero dividir tudo com vocês, vou me esforçar pois esqueço as coisas, mas tem algo que preciso falar. Vai soar clichê. Sim, eu sei que vai... Mas o que eu posso fazer? É a pura verdade!! Então lá vai:

FOI O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA

Talvez seja esta a declaração mais feita relacionado ao dia do casamento, sei lá, mas foi incrível. Antes de tudo, eu não fui aquela noiva sonhadora, de chegar de helicóptero, ou de ter um bolo de três metros de altura, não. Fui super simples e realista pois sabia de uma coisa muito especial - lá vai a primeira dica para futuras noivas -, a festa casamento não era para mim. Sim, não era, e é isso que torna tudo tão mágico e mais que especial, ver a felicidade dos outros. Se você for uma noiva egoísta, vai rolar muito estresse, frustração e sempre aquele desejo de que poderia ter sido mais. Então, antes de decidir ter uma festa, pense: por que quero ter uma festa? Eu e meu marido (hahah MARIIDOOUUWWS TOMA TOMA), sabíamos o quanto um casamento inspira as pessoas, e queríamos ser exemplo para nossos amigos, além de levantar um grande culto à Deus levar essa atmosfera de liberdade sobrenatural para aqueles que não vivem isso. Nos dias de hoje, quase ninguém casa. Se junta e está tudo certo, mas não é bem o que Deus sonha pra gente. Ele quer tudo certinho!  Bom, deu certo. O testemunho das pessoas é reconfortante.

Ainda explicando porque foi o melhor dia da minha vida, eu estava literalmente voando! No dia anterior rolou uma tempestade na cidade que faltou luz nos três bairros vizinhos, com isso o céu estava, inenarrável. Cara, o céu estava branco de tanta estrela, tinha rastros, clarões, estrelas cadentes, eu só sabia chorar e falar em línguas, pois ali eu senti toda a confirmação de Deus. Outra dica é: quando há confirmação de Deus, você faz as paradas sem dó. Se for para pular, você pula, não vai dar errado. Com tudo isso eu estava super emocionada, nunca fiquei tão feliz com as sensações que sentia. Me arrumando, minha mãe quase chorando me ajudando, esperando ser chamada para entrar, meu pai, cara meu pai... Meu pai ali comigo, sem dúvidas foi o ponto alto. Papo sério. Não sabia como, mas sabia que haveria um dia em que daria a ele todo o orgulho que sempre quis e também ser motivo de tanta felicidade, acredito que foi nesse dia. Isso me extasiou.

Entrar na areia, ver as pessoas emocionadas, saber que por trás de cada emoção que eu via estava Deus. Fiz o cortejo orando, emocionada. Aí quando eu vi ele, meu futuro marido, não deu vontade de correr, não deu vontade de gritar, nem deu vontade de fazer dancinha... foi tão familiar... olhar pra ele me trouxe tanta paz, tanta segurança, que poderia ficar ali... pra sempre, a gente se olhando, com o mar de fundo, o vetinho, o sol nas montanhas, refletindo na água... Tudo perfeito, eu, me pai, ele o pastor... mas o povo queria a cena! Bora Kapu!! Vem pegar a noiva! (ele, ficou encantado com a minha beleza e não foi me pegar... o pastor chamou, meu pai acenou com a cabeça, a Bela, madrinha deu um grito, aí ele foi!) UFA!
A entrada das alianças foi fofa, o Victo Hugo, de 3 anos, não quis fazer o cortejo e saiu correndo com as alianças de 2 mil dólares pela areia da praia, todos os convidados começaram a se abaixar cavando pra procurar o par da jóia. Sorte que um padrinho tinha um detector de metais no bolso, achou rapidinho... e demos continuidade a cerimônia. Tá não foi bem assim, foi muito fofo e perfeito... Falamos os votos e casamos! Ao cumprimentar os padrinhos, ih um chororô danado... com direito a entrega de mistério e tudo... Vi meus irmãos emocionados, minha mãe me disse as palavras que sempre ecoam na minha cabeça, meus amigos, minha cunhada, familiares... minha sogra me abraçou de uma forma tão aconchegante... nossa, momento forte e incrível.

Saímos como marido e esposa. Fomos para suíte, conversamos, vimos o quanto estávamos lindos um pro outro e quando descemos para a festa minha família fez uma homenagem cantando um música marcante na história da nossa família, muito forte. Todas as homenagens foram cheias de talentos, dons e peculiaridades... nós dançamos, eu cantei (apaga a luz), madrinhas cantaram, ih um show a parte! A festa estava toda trabalhada no tema praia e algumas referências ao artesanato de Belém, cheia de especialidades decorativas... Eu não fiz nada, confiei e fui embora! Profissionais perfeitos nesse evento, oramos por isso também e foi uma resposta de oração bem palpável. Os detalhes dos bastidores vão valer a parte 2 ou 3 deste post. Muita coisa fizemos à mão, como os convites, o chá de panela, e muita coisa resolvemos online, como o Save The Date e o site de presentes virtuais (ainda está no ar aproveite para ver logo, só até abril!), vou me esforçar para organizar fotos e vídeos para fazer um post bem estruturado.
Não falei metade do que queria, mas precisava dar uma satisfação, né. Também não tenho fotos muito boas, mas fui catando no facebook dos convidados. Podem deixar dúvidas, perguntas,sobre vestido, cabelo, make, decoração, convite, orçamento e o que for, que respondo, ok? Bom gente, por hoje é isso, vou ficar chateando você um tempo com essa história, porque foi demais para mim... Finalizo com um trecho da música que a Família Souza cantou para nós. Beijos!!

"Deus não deixará tua luz se apagar, o seu dia escurecer sua flor murchar, Deus não deixará o teu barco perecer, tua fonte secar e o amor que há em ti morrer, Deus não deixará..."
Eu sei, eu sei.. "mas Savaz, já estamos quase na Páscoa e você falando de ano novo!". Pois é gente... sou assim...rs

Passei o ano novo no norte do Brasil em Belém do Pará, conhecendo a família do no-o-ivo!
Foi lindo, comi  açaí com peixe frito, pupunha, vatapá, varias frutas exóticas, unha (é a coxinha, só que com recheio de caranguejo). Altos sucos e sorvetes murici, cupuaçu, buriti, castanha-do-para... Comi maniçoba, folha da mandioca cozida por 7 dias, e tacacá, é o caldinho da mandioca tem um gosto picante, junto com folha de jambu que deixa a língua dormente, foram os mais exóticos.

Fui à praia de água doce! Você se sente leve, pura e a água não é gelada. O cenário é maravilhoso, sol refletindo na água, que fica toda prateada e os peixinhos pulando em cima da superfície, curiosos com os visitantes novos... até o momento em que o Kapu sobe no topo de uma árvore do tamanho do Cabum ( in memorian Terra Encantada) e mergulha de cabeça no meio do rio da Amazônia. Nessa hora rolou um tipo "Ai meu Deus salva meu noivo que não te peço mais nada!", mas como ele é incrível, foi eu que paguei de bocó preocupadinha atoa... affs.
Kapuzinho nadando na praia de água doce em Cotijuba
  No fim do dia o barquinho que nos transportava quase virou, adrenalina pura. Chegamos vivos e felizes na margem onde tinha os produtores de açaí com seus paneiros lotados (paneiros são tipo cestos de palha que lá são basicamente descartáveis, fiz o Kapu trazer uns 7 no meio do avião).
Chegada em Cruzeiro, vivos graças à Deus (ignorem my face)
Não consegui cumprir toda a minha lista imaginária tipo treinar com as bgirls e ver um jacaré, mas tive o privilégio de ver a ararinhas em uma época especial (de acasalamento, elas ficavam gritando que nem loucas), e deixavam a rua mais viva e mais enérgica.

Voltando ao Rio a primeira paulada foi os R$3,80 da passagem (lembrei de um post antigo onde a passagem de ônibus era R$2,40). Eu fiquei tipo WHAT THE F*! Enfim, lembrei do meu tempo militante, de protestos, era presença certas, nos plenários, lutava, cara eu lutava. Pela dança, pelo hip-hop, pelas 5 causas... (e se tivesse alguém lutando sobre qualquer outra coisa eu só gritava junto "é isso aí!") Mas estava com um desinteria assim que cheguei de viajem aí não ia rolar, paguei os três mil e oitocentos da passagem.

Cheguei do aeroporto indo direto pra secretaria de cultura, assinar uns documentos de liberação de verba, agendando reuniões de articulação do projeto, confirmando presença em vários eventos, mas EPA, PERA AÍ! I   W I L L   M A R R I E D !! Pé no freio, VVR, vamos voltar a reladidade, salve Marechal. Convites, lembrancinhas, o que as madrinhas vão usar.. é bem isso, bem esse nível...
Este é o nosso Save The Date praiano (menos de um mês, aijesusmariajoseeamanjedoura)
Resumindo, sou noiva! (de novo ¬¬) E tenho um noivo! (Para quem não sabe Ronielson é o Kapu)
Bem, será uma cerimônia simples a beira mar, pé na areia, ao cair da tarde em Angra dos Reis. Entrarei descalça e eu mesma vou fazer o meu cabelo! Quem vai fazer minhas fotos é o Paulinho Rodrigues (@paulinhorodrigofotos), com quem já trabalho (ele é quem faz essas minhas fotos bapho que vocês amam) e na make é a Jessica Oliveira (@makeupjessicaoliveira) que também já conhece meu rosto. A filmagem ficará por conta do nosso amigo Tito (@tito_lacerda)! Não tenho muito o que dizer sobre os preparativos, só que tudo está surgindo e acontecendo do nada!

Estou ansiosa. Mas sei que tenho que curtir cada momento e observar cada milagre chegar naturalmente, pois (parece clichê, e até é, mas...) é um momento único, só vai acontecer uma vez e de fato é especial (o que não justifica o preço dos bem-casados). Sinto meus pais muitos felizes, eles não falaram, mas dá para ver, e me sinto muito honrada e grata à Deus por essa atmosfera entre nós! Não tenho muito o que dissertar sobre isso, somente louvar e agradecer a Deus por todo esse amor que estou sentindo pelo Kapu, por meus pais e por essa fase de crescimento! É isso.

Fiquem na PAZ, Beijos!

Não é sobre a campanha "Sem make e sem filtro" que rolou por aí. É sobre mim, sem filtro mesmo.

Estou lendo um livro muito inspirador de Jon Acuff. Hoje no metro quase chorei pois parece que ele fala diretamente comigo!
Todos a minha volta -e até mesmo eu- já aconselhei sobre ter um objetivo, um foco, um propósito. Isso é bom, sim, claro. Mas pode ser que você não ache, ou ainda não tenha! Pode ser que - assim como eu- você venha ter vários... daí a grande questão não é você viver galgando um caminho, que você já escreveu, detalhou e contabilizou, pois acreditou que definir um objetivo e um propósito lhe faria viver do modo certo, mas sim viver com propósito, com substância e preenchimento.

Penso eu que quem busca um objetivo, busca-o porque quer chegada de grandeza, mas "porque fingir que você vai encontrar uma coisa - e só uma - que ama fazer pelo resto da vida e excluir todas as outras? Não fique trancado em uma única idéia de propósito que o sufoca". Aceitar que "você não deve saber a linha de chegada antes mesmo da partida" é um bom começo.

Estou tirando meus filtros. Sim, sou indiciplinada... na verdade minha criação foi militar e tradicional - o que me fez por alargador e andar de skate talvez- mas hoje sou uma pessoa bem formada e agradeço essa criação, pois  a única vez -em toda minha vida- que fui disciplinada comigo mesma foi quando fiz ballet e tive onde aprender a ser. Ahhhh olha ele aí de volta, o BALLET (eu sei que nunca vai sair da minha vida). Eu tinha um objetivo e foquei e conquistei. Era só a dança. Só ela. Na verdade vocês podem ver essa época nos arquivos desse blog #ficadica. Por ela rompi um noivado, negligenciei uma universidade federal e me afastei da família. Havia algo de errado com minha caminhada eu quis traçar uma linha de chegada e parecia que atropelando tudo que viesse pelo caminho, e seguir essa reta calculada, o meu objetivo seria alcançado.

Me arrependo todas as vezes que falei para alguém "Corra atrás de seus sonhos". Putz, mas que frase RASA! (e deve estar cheio delas esse blog...) Eu corri a beça, corri tanto que esbarrei em um monte de coisas, atropelei outras e derrubei várias...

Algum dia do ano de 2010 ou 2011, almoçando com uma amiga antiga e conversando sobre a saga de conseguir o bendito diploma, ela disse mais ou menos o seguinte: que a faculdade era como uma torta, ela queria comer a massa depressa pois o recheio era o mais gostoso e ela queria chegar rápido nele. Eu pus a minha versão da seguinte forma: que eu gostava também da massa... Traduzindo: Massa= Vida e Recheio= Diploma. Acabei de pensar, no que dá nas pessoas em fazerem um recheio de ameixa? Se ela imaginassem que há pessoas automatizando 4 anos de vida para chegar no recheio tenho certeza as tortas seriam sempre de Nutella ou algo mais gostoso (nada contra ameixas, que fique claro)

Estou me segurando para largar um frase super polêmica, mas acho que não vou conseguir, vou ter que largar ela aqui... e o pior que nem vou me explicar pois sairia do contexto... ai ai... já era, minha mente já projetou, se eu não falar vou ter que lançar no twitter o que seria bem pior.

Larguei a faculdade pois não queria perder tempo. (ai!)

Claro que com isso vieram muitos conflitos, internos e externos, terapias, hip-hop, blá blá blá e acabei perdendo tempo tentando me encontrar. Me via com um diploma de uma área limitada, assalariada, funcionária, talvez até (Não vou falar Deus me livre pois é cuspir para o alto, ninguém sabe o dia de amanhã, ou o recheio da torta) funcionária pública, tudo por... por... dinheiro? Pruuff Dinheiro nunca me comprou (era assim que pensava na época, hoje com um aluguel na zona sul a gente pode conversar).Só que quando me achei já tinha passado o período de duas faculdades e eu estava com mais três áreas diferentes no currículo. Um caos. Mas caos é bom, dá pra arrumar.

Não mudou muita coisa a respeito dessa opinião... mudou com relação à idade. As pessoas te cobram um papel na parede ou uma história de que você sofreu muito para conseguir tal coisa e agora a tal coisa está aqui na frente para todo mundo ver. Bom, não tenho a tal coisa hoje... na verdade tenho várias mais ou menos a tal coisa. É disso que vim falar hoje e vou findando por aqui...

Em um outro livro que li este ano de Austin Kleon, também muito inspirador, diz o seguinte: "Você pode cortar algumas paixões de sua vida e focar somente em uma, mas depois de um tempo, começará a sentir a dor da amputação.", também diz: "Não jogue fora nenhuma parte sua".

Uns dos meus diagnósticos, que faço muita coisa e preciso focar em algo. Não foram algumas pessoas que falaram, mas várias... Inclusive tive uma oportunidade única e incrível de fazer uma sessão de coaching com um master coach, Nelson Babiuk, e isso também foi tratado. Sim, já sei.. agora o que eu faço? Legal... é uma pergunta que só eu posso responder... Não quero ser redundante, falar, falar e não falar nada. Talvez o que eu queira passar aqui é que a vida é simples... só pense em caminhar com grandeza e não em chegar no tal fim da linha que tem a tal grandeza (e se o recheio for de ameixa?). Viva com propósito e não para o propósito. Não corra atrás dos seus sonhos, viva o propósito dos seus sonhos. Sonhe honestamente e não seja egoísta.
Mais uma dica: "Reserve um tempo para se distrair. Perca-se. Nunca se sabe aonde isso vai dar."

E a maior revelação que explica o título de hoje: Não. Ainda não sei o que eu quero ser quando crescer.

"Sou um monte confuso de forças,cheias de infinito, pendendo em todas as direções para todos os lados do espaço" - Fernando Pessoa (Álvaro de Campos) e trecho do trabalho "Em Mim" sob direção de Sabrina Vaz

GRANDE BEIJOOO
- Aguardem novidades do Roupa de Ensaio, uhuul a loja virtual tá linda!
- Kapuzinho está indo pra final sulamericana da Red Bull BC One, vamos torcer!
- Tô noiva! De novo, já falei isso aqui? Se não falei fico devendo...
- Meu primeiro edital aprovado, mega orgulhosa, também fico devendo isso aqui... 

Falae galera!!
Ontem nasceu um trabalho muito legal que escrevi. Quem lê este blog desde 2004 sabe que gosto muito de Fernando Pessoa e seus heterônimos e fiquei muito feliz em fazer uma pesquisa baseada nele.
Foi uma sensação muito boa ver algo que antes era apenas palavras em um documento de texto e hoje materializado em um trabalho cheios de linguagens artísticas. Inspiração total para fazer outros e mais outros! Na verdade o grande BAM do projeto foram as pessoas. Então o conselho de hoje é: se una a pessoas que façam a diferença! Se una a pessoas que falam menos e ajam mais, que somem e multipliquem ideias de qualidade! Forme uma equipe.
Meus agradecimentos almáticos ao Gustavo Alves, ator e bailarino que abraçou lindamente o projeto e ao Kapu Araujo, fez a trilha sonora, que me dá base psicológica e sentimental para acreditar em tudo que faço. Seus lindos vocês são o aço!
Em breve sairá um teaser oficial do trabalho no canal do ROUPA DE ENSAIO e eu ponho aqui o link. Enquanto isso sigam meu IG @ssavaz que devo postar alguns trechos e blá blá bla.
É isso! Sente a pressão então, pow pow pow! ^^

EM MIM

 O trabalho organiza de forma técnica e poética uma amarração de voz e dança. O experimento traz citações poéticas de Fernando Pessoa e seus heterônimos, divagações improvisadas e espontâneas e técnicas da dança breaking e contemporânea, unindo as vivencias corporais dos intérpretes.
O duo tem como pesquisa o corpo, a mente e a cidade em seus campos abertos democráticos. Com base em danças urbanas e a dança contemporânea, integramos uma pesquisa de movimentos naturais cotidianos a fim de manifestarmos a necessidade de expressão. Ao exigir a excelência da arte em corpo, poesia, fala, gesto, movimento, conduzimos o público a uma divagação que ocorre no interno da mente de um artista, querer entender, achar algo e/ou chegar a algum lugar. Quando reconhecemos que este é um fio condutor cíclico, tratando o fato que tudo volta e se renova, repete e se reconstrói, aceitamos que estamos sempre retornando ao ponto de partida e redescobrindo o simples.
Dando continuidade a cena urbana, transforma-se toda a dança em um enredo introspectivo, mostrando que cada um vive e observa o mundo a volta de uma maneira única. Pensamentos, sentimentos, sensações, experiências. Tudo volta e reverbera nos movimentos, narrado por poesia profunda, o que parece simples ou complexo, quando destrinchado, modificado, retirado, acrescentado, ganha a forma referente à sua interferência no universo espacial, universo este unicamente seu.
TRECHO DE UM DOS POEMAS:
A Melhor Maneira de Viajar é Sentir -Álvaro de Campos 
Sou um monte confuso de forças cheias de infinito
Tendendo em todas as direções para todos os lados do espaço,
A Vida, essa coisa enorme, é que prende tudo e tudo une
E faz com que todas as forças que raivam dentro de mim
Não passem de mim, nem quebrem meu ser, não partam meu corpo,
Não me arremessem, como uma bomba de Espírito que estoira
Em sangue e carne e alma espiritualizados para entre as estrelas,
Para além dos sóis de outros sistemas e dos astros remotos.
-
Dentro de mim estão presos e atados ao chão
Todos os movimentos que compõem o universo,
A fúria minuciosa e dos átomos,
A fúria de todas as chamas, a raiva de todos os ventos,
A espuma furiosa de todos os rios, que se precipitam,
-
Tudo o que há dentro de mim tende a voltar a ser tudo.

Sou um formidável dinamismo obrigado ao equilíbrio
BEIJO GATOS! ;)