By | 2.9.08 Leave a Comment
Oie!
Contagem regressiva para a nova versão -`Do Dαnce´- 2.0 desse blog!! O que eu posso adiantar é que o lay vai ter fotos minhas dançando ^^!
~ Nesta foto eu estou fazendo um solo com a música Hallelluijah (trilha sonora do Shrek!), no dia 30/08/2008, num concerto que o Coral Ecos Sonoros da Feuc fez para arrecadar fundos para sua viajem à Argentina! Foi lindo apezar de eu ter improvisado metade da música, mas me senti bem e a música é linda! Érica também dançou e ficou show! =D
~Bom, fiz a prova do ENEM2008, estou esperando o resultado. Fiquei de impaciente na hora da prova. Foi cansativo, a prova estava super fácil!! Mas o que cansa são justamente os textos de cada questão. Na redação eu fui bem. Espero.
~Estou estudando para o vestibular! Minha específica é Química e Biologia! Nossa Química está muito difícil, Biologia, nem tanto sempre fui boa! Tenho que estudar bastante, pois a prova das UFRRJ (rural) será dia 29 e 30 de Novembro! Três meses apenas para me preparar, fé em Deus!!
~ Ginástica Rítmica! Pois é, estou entrando nessa área! Já vou participar dia 1° de Novembro numa copinha na Tijuca com um individual de FITA!! Estou super anciosa!
~Mostra de Dança CEMS! As coreografias estão bem legais, mas eu só vou dançar o Ballet Avançado da Gabriela e é claro, o Jazz Avançado da BIA BAZANA! Se preparem porque nesse fim de ano está por vir um super espetáculo!!!!!
Será dia 29 de Novembro (ops! Dia do VESTIBULAR), pois é em novembro tem TUDO! Tem a semana de provas na escola, tem a copa de GR, tem a Mostra de Dança, aniversários de 15 anos, ai ai ai! Se eu passar no vestibular, será milagre de Deus. Como eu vou me concetrar com isso tudo!? Já é difícil me concentrar sem nada... ¬¬
~Ah!! Estou escrevendo um livro! Estão surpresos!? Não os culpo. Mas a verdade é que eu gosto muito de escrever. Posso não representar a gramática fielmente, mas eu gosto muito de criar e reproduzir, com escritas, o que eu penso! Não é a toa que eu mantenho um blog há mais de 2 anos que poucos comentam! Também tenho um diário (isso eu nunca divulguei!!!!) desde 2007, e ele é bastante interessante! =D
Também gosto de ler, acabei de ler também Se Houver Amanhã de Sidney Sheldon, muito legal! Uma amiga me emprestou! ;) E, em mais ou menos 10 dias eu li os três primeiros livros da série O Diário Da Princesa de Meg Cabot, que originou o filme, muito bom! Agora só falta o quarto, o quinto, o sexto, o sétimo, o oitavo e o nono, que acabou de sair! ^^

Enfim, quando o meu livro estiver pronto, alcançar um sucesso de vendas e estiver na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, concerteza vocês ficarão sabendo. Posso adiantar que é sobre um garota que descobre a dança, e no fim ela percebe que tudo o que ela quizer, ela pode fazer! =D
~Bom gente, beijinhos, estou partindo. Vim atualizar e deixar um
Soneto de Alvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa. Reflita no que o poeta quiz dizer com tudo isso!

"Quando olho para mim não me percebo.
Tenho tanto a mania de sentir
Que me extravio às vezes ao sair
Das próprias sensações que eu recebo.

O ar que respiro, este licor que bebo
Pertencem ao meu modo de existir,
E eu nunca sei como hei-de concluir
As sensações que a meu pesar concebo.

Nem nunca, propriamente , reparei
Se na verdade sinto o que sinto.
Eu Serei tal qual pareço em mim? Serei

Tal qual me julgo verdadeiramente?
Mesmo ante as sensações sou um pouco ateu,
Nem sei bem se sou eu quem em mim sente
. "

Álvaro de Campos - Lisboa, (uns seis a sete meses antes do Opiário) Agosto 1913
(in Poemas de Álvaro de Campos, Edição de Cleonice Berardinelli, INCM, 1992)


Fernando Pessoa/Álvaro de Campos

Mais do que meros pseudônimos, outros nomes com os quais Fernando Pessoa assina sua obra, os heterônimos são invenções de personagens completos, que têm uma biografia própria, estilos literários diferenciados, e que produzem uma obra paralela à do seu criador. Fernando Pessoa criou várias dessas personagens. Três deles foram excelentes poetas e seus poemas estão nesta antologia, lado a lado com os que Pessoa assinava com seu próprio nome. Os estudiosos seguem discutindo por que Pessoa teria criado seus heterônimos. Seria esquizofrenia? Psicografia? Uma grande piada? Um genial jogo de marketing poético? De certo, sabemos que a genialidade de Fernando Pessoa é grande demais para caber em um só poeta. Como bem o sintetizou o seu heterônimo mais atribulado, Álvaro de Campos:

"Quanto mais eu sinta, quanto mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidades eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento,
Estiver, sentir, viver, for, Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro fora."

Fernando Pessoa nos informa que Álvaro de Campos(1890 - 1935?): “Nasceu em Tavira, teve uma educação vulgar de Liceu; depois foi mandado para a Escócia estudar engenharia, primeiro mecânica e depois naval. Numas férias fez a viagem ao Oriente de onde resultou o Opiário. Agora está aqui em Lisboa em inatividade."
Como normalmente acontece com os poetas de carne e osso, o heterônimo Álvaro de Campos apresenta três fases distintas em sua poesia.
De início é influenciado pelo decadentismo simbolista, depois pelo futurismo e por fim, amargurado, escreve poemas pessimistas e desiludidos.
Em seguida envereda pelo futurismo, adotando um estilo febril, entre as máquinas e a agitação da cidade, do que resultam poemas como Ode Triunfal:

"À dolorosa luz das lâmpadas elétricas da fábrica
Tenho febre e escrevo.
Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto,
Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos."

Os poemas de Álvaro de Campos são marcados pela oralidade e pela prolixidade que se espalha em versos longos, próximos da prosa. Despreza a rima ou métrica regular. Despeja seus versos em torrentes de incontrolável desabafo.
A última fase do heterônimo Álvaro de Campos, em que pontifica o poema Tabacaria, apresenta um poeta amargurado, refletindo de forma pessimista e desiludida sobre a existência:

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."

(http://fredb.sites.uol.com.br/pessoa.html)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: