Querer, mas rejeitar... Reprimir o aprazível

By | 18.12.11 Leave a Comment
Reprimir de certos impulsos faz bem?
Momentos passam e vontades também, agora, quando aquele instante se concretiza, corremos o risco de estarmos com ele e com suas ressonâncias para todo sempre. Queremos mesmo isso? Além de que corremos o risco de nos tornarmos escravos e não conseguirmos mais viver sem as linhas de separam a vida real da ilusória.
Talvez um sonhador discorde em viver com os pés no chão, talvez até um vivido discorde e narre que a margem da segurança é sem graça e previsível. Mas assim como grandes poetas, dissertam ambigüidades com relação ao amor levo as mesmas palavras para esses momentos difusos e lacônicos que a vida nos traz para decidirmos fazê-los acontecer.
Impulsos te levam a fechar os olhos e se jogar em um abismo para sentir o prazer de poder voar, impulsos te levam à coragem. E é a coragem te faz amar, rejeitar, assumir conseqüências e enfrentá-las.
Coragem para dizer sim e não. A partir daí vivemos e perpetuamos momentos bons e ruins, e como poetas sonhamos e sofremos.



- O ano está acabando! Chegou aquela época de enfeitezinhos bregas, musiquinhas chatinhas, bla, bla, bla... como eu odeio a Coca-Cola neste época! rsrs Enfim aguardem a retrospectiva 2011! Ai Jesus, deu até MEDO!

Se cuidem!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Comentários: